Comunicação na enfermagem e a língua brasileira de sinais

Autores

  • Graziela Lobato grazzylobato@gmail.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Osânia Rodrigues de Santana Domingos osania.rodrigues@outlook.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Luiz Faustino dos Santos Maia dr.luizmaia@yahoo.com.br
    Instituto Enfservic, Faculdade Estácio de Carapicuíba

Palavras-chave:

Língua Brasileira de Sinais, Surdos Hospitalizados, Desafios do Cuidado

Resumo

A língua materna dos surdos Brasileiros é a Língua Brasileira de sinais, constituída por sinais próprios da comunidade surda no nosso país, as expressões típicas e gírias inclui os regionalismos absorvendo aspectos culturais. Em abril de 2002, através da lei 10.436, LIBRAS obteve reconhecimento e proposta de garantia de apoio e difusão na educação. O ser humano é um ser social que se constrói e reconstrói, compreende-se e aprende todos os dias, sendo esta interação em libras a comunicação não verbal, mostrar a importância do aprendizado em gestos e expressões, aumentando o seu conhecimento no vocabulário com novos sinais introduzidos pelas comunidades surdas, dentro da saúde a enfermagem.

Publicado

28-05-2022
Métricas
  • Visualizações 0
  • pdf downloads: 0

Como Citar

LOBATO, G.; DOMINGOS, O. R. de S. .; MAIA, L. F. dos S. Comunicação na enfermagem e a língua brasileira de sinais. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 11, 2022. Disponível em: https://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/792. Acesso em: 11 ago. 2022.