Estilo de vida de estudantes de graduação tecnológica em radiologia

Regina Rodrigues Cordeiro Ramos, Denner Miguel dos Santos, Luiz Faustino dos Santos Maia

Resumo

Optar por uma vida saudável nem sempre é fácil devido influência por fatores culturais, sociais e religiosos, socioeconômicos, ambientais e educacionais. Este trabalho objetivou conhecer, avaliar e descrever o perfil dos estudantes de graduação tecnológica em radiologia de uma faculdade privada da cidade de Carapicuíba. Estudo descritivo, exploratório de abordagem qualitativa, com finalidade de estimular o interesse pela qualidade de vida. Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da UNESA-RJ (CAEE: 70061817.0.0000.5284 e Parecer Nº. 2.276.020), os acadêmicos foram selecionados de forma aleatória totalizando 190 estudantes entrevistados que concordaram em participar do estudo por meio da assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. Observou-se que houve prevalência do sexo feminino (69%); sendo que 64% são solteiros e 58% não tem filhos. A faixa etária predominou entre 18 e 26 anos (56%), com média de 22 anos. A maioria dos alunos 42% cursavam o primeiro semestre; 56% estudavam no período noturno; 88% estavam com a carteira de vacinação em dia. Conclui-se que a avaliação do perfil dos acadêmicos tecnólogos em radiologia é de extrema importância, mencionando causas que podem interferir com a rotina dos mesmos.

Descritores: Radiologia, Estudantes, Qualidade de Vida.


Lifestyle of students of technological graduation in radiology

Abstract: Choosing a healthy life is not always easy due to the influence of cultural, social and religious, socioeconomic, environmental and educational factors. This study aimed to know, evaluate and describe the profile of students of technological graduation in radiology of a private college in the city of Carapicuíba. This is a descriptive, exploratory, qualitative study with the purpose of stimulating interest in quality of life. After approval by the Research Ethics Committee of UNESA-RJ (CAEE: 70061817.0.0000.5284 and Opinion Nº. 2,276,020), the academics were randomly selected totaling 190 interviewed students who agreed to participate in the study through Signing of the Informed consent form. It was observed that there was a female prevalence (69%); 64% were single and 58% had no children. The age group predominated between 18 and 26 years (56%), with an average of 22 years. The majority of students 42% attended the first semester; 56% studied in the night period; 88% were on the vaccination schedule. It is concluded that the evaluation of the profile of the academic technologists in radiology is extremely important, mentioning causes that can interfere with their routine.

Descriptors: Radiology, Students, Quality of Life.

 

Estilo de vida de los estudiantes de graduación tecnológica en radiología

Resumen: Elegir una vida sana no siempre es fácil debido a la influencia de factores culturales, sociales y religiosos, socioeconómicos, ambientales y educativos. Este estudio tuvo como objetivo conocer, evaluar y describir el perfil de los estudiantes de graduación tecnológica en radiología de un colegio privado en la ciudad de Carapicuíba. Se trata de un estudio descriptivo, exploratorio y cualitativo con el fin de estimular el interés en la calidad de vida. Después de la aprobación por el Comité de ética de la investigación de UNESA-RJ (CAEE: 70061817.0.0000.5284 y la opinión no. 2.276.020), los académicos fueron seleccionados al azar totalizando 190 estudiantes entrevistados que acordaron participar en el estudio a través de Firma del formulario de consentimiento informado. Se observó que existía una prevalencia femenina (69%); el 64% eran solteros y el 58% no tenían hijos. El grupo de edad predominó entre 18 y 26 años (56%), con un promedio de 22 años. La mayoría de los estudiantes 42% asistieron al primer semestre; 56% estudió en el periodo nocturno; el 88% estaban en el cronograma de vacunación. Se concluye que la evaluación del perfil de los tecnólogos académicos en radiología es extremadamente importante, mencionando causas que pueden interferir con su rutina.

Descriptores: Imagen Radiología, Estudiantes, Calidad de Vida.

 

Texto completo:

PDF

Referências

Santos JFS, Alves VS. Perfil do estilo de vida relacionado à saúde dos acadêmicos da Unicentro, Campos Irati, PR. Buenos Aires: Rev Digital. 2009; 13(129).

Uchoa E, Rosemberg B, Porto MFS. Entre a fragmentação e a integração: saúde e qualidade de vida de grupos populacionais específicos. Informe Epidemiológico do SUS. 2002; 1(3):15-28.

Santos JFS. Estilo de vida e percepção de qualidade de vida de acadêmicos de americano da FIEP. Foz do Iguaçu. Anais Foz de Iguaçu: FIEP, 2004.

Paula AA, Gusmão AM, Maia LFS. Avaliação do perfil dos trabalhadores da enfermagem em pronto socorro. São Paulo: Rev Recien. 2017; 7(19):28-38.

Ferro FF. Instrumentos para medir a qualidade de vida no trabalho e a ESF: Uma revisão de literatura. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. 2012.

Maia LFS, Presoto LH. Qualidade de vida: perfil de estudantes em enfermagem de uma universidade privada do município de São Paulo. São Paulo: Rev Recien. 2014; 4(10):33-39.

Lentz RA, Costenaro RGS, Gonçalves LHT, Nassar SN. O profissional de enfermagem e a qualidade de vida: uma abordagem fundamentada nas dimensões propostas por Flanagan. Ribeirão Preto: Rev Latino Am Enferm. 2000; 8(4):7-14.

Polit FD, Beck CT, Hungler B. Fundamentos de Pesquisa em enfermagem. Métodos, avaliação e utilização. 5ª ed. Porto Alegre: ARTMED. 2004.

Pereira RJ, Cotta RMM, Franceschini SCC, Ribeiro RCL, Sampaio RF, Priore SE, et al. Contribuição dos domínios físico, social, psicológico e ambiental para a qualidade de vida global de idosos. Rev Psiquiatr RS. 2006; 28(1):27-38.

Sandri JAS, Linhares VCA. A qualidade de vida dos Idosos Atendidos pelo Programa Saúde da Família no Bairro Areias, Camboriú-SC. Nursing. 2008; 11(122):306-11.

Fleck MPA, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Rev Saúde Pública. 2000; 34(2):178-83.

Minayo MCS, Hartz ZMA, Buss PM. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciênc Saúde Colet. 2000; 5(1):7-18.

Cianciarullo TI, Gualda DMR, Silva GTR, Cunha ICKO. Saúde na família e na comunidade. São Paulo: Robe Editorial. 2002.

Viana HB. Avaliando a qualidade de vida de pessoas idosas utilizando parâmetros subjetivos. Rev Bras Ciênc Esporte. 2004; 25(3):149-58.

Albuquerque AS, Tróccoli BT. Desenvolvimento de uma escala de bem-estar subjetivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa. 2004; 20(2):153-164.

Pereira EMA. A percepção dos universitários sobre seus problemas. In: Mercuri E, Polydoro AS, organizadores. Estudante universitário: características e experiências de formação. Taubaté: Cabral. 2003; 63-78.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2015. Disponível em: . Acesso em 17 mar 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo Brasileiro - 2010. Disponível em: . Acesso em 15 mar 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Programa Nacional de Imunização. Disponível em . Acesso em 22 abr 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de procedimentos para vacinação. Brasília. 2004; 72.

Sociedade Brasileira de Hipertensão. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Disponível em: . Acesso em 17 abr 2018.

Organização Mundial de Saúde. Alimentação saudável. Disponível em: . Acesso em 05 abr 2018.

Costa ES, Morita I, Martinez MAR. Percepção dos efeitos do trabalho em turnos sobre a saúde e a vida social em funcionários de enfermagem em um hospital universitário do Estado de São Paulo. Cad Saúde Pública. 2000; 16(2):533-555.

Andrade APA, Bernardo ACC, Viegas CAA, Ferreira DBL, Gomes TC, Sales MR. Prevalência e características do tabagismo em jovens da Universidade de Brasília. J Bras Pneumol. 2006; 32(1):23-28.

Monteiro MRP, Andrade MLO, Zanirati VF, Silva RR. Hábito e consumo alimentar de estudantes do sexo feminino dos cursos de nutrição e de enfermagem de uma universidade pública brasileira. Rev APS. 2009; 12(3):271-277.

Monteiro MF, Sobral DCF. Exercício físico e o controle da PA. Rev Bras Méd Esporte. 2004; 10(6):513-516.

Longo DA, Peterson SM. The role of spirituality in psychosocial rehabilitation. Psychiatr Rehabil J. 2002; 25(4):333-40.


Visualizações do PDF:

14 views


Visualizações do Resumo:

40 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2016 Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Científicos em Saúde. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud