AÇÕES REALIZADAS PELA ENFERMAGEM FRENTE À SEPSE EM TERAPIA INTENSIVA

Autores

  • Ana Paula Machado de Lara anapaulamachadodelara@gmail.com
  • Bianca dos Santos Lopes bianca.enf@outlook.com
  • Letícia Velozo Domingos Pinto ledomingos9923@gmail.com
  • Rafaela de Jesus Portugal rafaelaenfermagem2@gmail.com
  • Joedla Gabriella da Silva joedlagabriella05@outlook.com
  • Cintia Carolina Silva Gonçalves cintia.goncalves@unifacs.br

Palavras-chave:

Enfermagem, Sepse, Unidade de Terapia Intensiva

Resumo

A Unidade de Terapia Intensiva fornece aparato tecnológico e monitorização constante aliada  a  uma  equipe  multiprofissional  no  cuidado  a  pacientes  graves  que  necessitam  de  uma assistência especializada e devido ao ambiente intensivo podem ocorrer agravamentos como a sepse que é um processo infeccioso sistêmico onde o sistema imune constrói uma resposta acentuada desregulada no organismo. Os profissionais de enfermagem devem atuar na prevenção e melhora do desfecho, através do uso de protocolos de assistência, treinamento das equipes e implementação de tecnologias em saúde. Objetivo: Conhecer as ações realizadas pela equipe de enfermagem frente ao paciente com sepse em terapia intensiva. Material e Método: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura sobre as ações realizadas pela equipe de enfermagem frente ao paciente com sepse em unidades de terapia intensiva. A busca foi realizada em agosto de 2021 por meio da base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Banco de Dados em Enfermagem- Bibliografia Brasileira (BDENF), Literatura Latino-Amaricana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE). Os critérios de inclusão foram: artigos publicados de 2017 a 2021, em português, disponíveis completos e gratuitamente. Os critérios de exclusão foram: estudos sem relação com o objetivo, pesquisas pediátricas e neonatais e estudos duplicados nas bases de dados. Os descritores foram selecionados por meio da DeCs- Descritores em Ciências da Saúde e MeSH sendo eles: Nursing, Enfermagem, Sepsis, Sepse, Intensive Care Units, Unidade de Terapia Intensiva. Resultados e Discussão: Obteve-se 130 resultados através da base de dados virtuais com uso dos descritores. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, resultou-se em 6 artigos que foram incluídos na revisão. A equipe de enfermagem deve estar atenta a sinais indicativos de sepse como  alteração  no  nível  de  consciência,  taquicardia,  dispneia,  febre  que  é  caracterizada  por temperatura corporal (TC) maior que 38,3 C e hipotermia com TC menor que 36,0 estudos indicam que a  hipotermia  está  associada  a  maiores  índices  de  mortalidade.  Além  disso,  é  essencial  que  o enfermeiro monitore o lactato sanguíneo, garanta a realização de culturas e a administração de antibióticos dentro da 1 hora após a confirmação e ainda em caso de hipotensão ou lactato maior ou igual  a  4mmol/L  deve  administrar  vasopressores  conforme  orientação  médica  visando  manter  a pressão arterial maior que 65 mmHg. Conclusão: Dada a sua importância epidemiológica a sepse deve ter sua devida atenção nos protocolos institucionais, bem como em pesquisas e desenvolvimento tecnológico. Para o correto manejo da sepse, prevenção e assistência, se faz necessário treinamento e políticas institucionais baseadas em evidências, pois a rapidez com que se é feito o diagnóstico e intervenção corroboram diretamente em um desfecho positivo ou negativo.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

MACHADO DE LARA, A. P. .; SANTOS LOPES, B. dos .; DOMINGOS PINTO, L. V. .; JESUS PORTUGAL, R. de; GABRIELLA DA SILVA, J. .; SILVA GONÇALVES, C. C. AÇÕES REALIZADAS PELA ENFERMAGEM FRENTE À SEPSE EM TERAPIA INTENSIVA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 107, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/759. Acesso em: 30 jun. 2022.