COVID-19 EM TRABALHADORES ATENDIDOS EM UM CENTRO DE SAÚDE

Autores

  • Leila Tassia Pagamicce pagamicceleila@gamil.com
  • Carla Renata Silva Andrechuk andrechukma@yahoo.com.br
  • Mariane Karin de Moraes Oliveira mariane.moraes1@gmail.com
  • Roberta Cunha Matheus Rodrigues rroberta@unicamp.br

Palavras-chave:

Epidemiologia, COVID-19, Enfermagem

Resumo

A pandemia causada pela doença Coronavírus 2019 (COVID-19), uma infecção respiratória aguda potencialmente grave, é uma emergência em saúde pública com impacto avassalador na saúde da população global. Neste contexto, a atuação da atenção primária desde a condução inicial dos casos suspeitos e o monitoramento de forma individual dos pacientes com diagnósticos confirmados de COVID-19 tem sido relevante. Objetivo: Este estudo teve como objetivo avaliar o perfil demográfico, ocupacional e clínico e a evolução clínica de trabalhadores infectados pelo Sars-COV-2 em um Centro Comunitário de Saúde de uma universidade pública do Estado de São Paulo, Brasil. Material e Método: Trata-se de um estudo documental, descritivo, com abordagem quantitativa. Este estudo foi aprovado pelo   Comitê   de   Ética   em   Pesquisa   da   Instituição   por   meio   da   Plataforma   Brasil   (CAAE: 45538121.3.0000.5404).  Esta  pesquisa  incluiu  a  utilização  de  dados  secundários, disponíveis  nos prontuários de casos confirmados de COVID-19, utilizados para o monitoramento do serviço de vigilância epidemiológica. Resultados e Discussão: Os dados foram coletados de casos diagnosticados no período de março de 2020 a março de 2021. A amostra foi composta por 1.459 trabalhadores sintomáticos com COVID-19, com média de idade de 41,1 (DP 10,8) anos, a maioria mulheres (71,1%); que apresentavam  obesidade (19,9%) e hipertensão (17,0%). Dentre os  sintomas, destacaram-se cefaleia (75,3%) e tosse (74,9%). A piora da evolução clínica durante o seguimento ocorreu em 3,4% dos casos. Os fatores demográficos, ocupacionais e clínicos associados à piora clínica foram sexo, categoria  profissional,  hipertensão,  diabetes  mellitus,  obesidade,  dislipidemia,  distúrbios  olfatórios, tosse, febre e dispneia. A regressão de Poisson, com variância robusta, mostrou que a prevalência de piora clínica foi maior com a idade, obesidade, febre e dispneia. Conclusão: O monitoramento remoto de trabalhadores com COVID-19 tem se mostrado promissor na detecção e tratamento precoce dos casos sintomáticos de COVID-19. Implicações para a Enfermagem: Os resultados deste estudo contribuem para o planejamento de estratégias e ações de enfermagem futuras para o enfrentamento da COVID-19.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

PAGAMICCE, L. T. .; SILVA ANDRECHUK, C. R. .; MORAES OLIVEIRA, M. K. de .; MATHEUS RODRIGUES, R. C. . COVID-19 EM TRABALHADORES ATENDIDOS EM UM CENTRO DE SAÚDE. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 83, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/735. Acesso em: 6 jul. 2022.