CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ADAPTAÇÃO NO PERÍODO PÓS-MASTECTOMIA

Autores

  • Marivânia Monteiro Alves marivaniamonteiro3@gmail.com
  • Bianca Fernandes Marcelino bianca.fernandes@urca.br
  • Ingrid Grangeiro Bringel Silva ingridgbringel@gmail.com

Palavras-chave:

Teorias de Enfermagem, Adaptação, Mastectomia

Resumo

A mastectomia é um procedimento cirúrgico que consiste na retirada da mama, essa intervenção cirúrgica é realizada como uma forma de tratar o câncer  mamário. As pacientes que submeteram-se ao procedimento descrito são impactadas de diversas formas, como exemplo nos seus relacionamentos. Diante desse cenário, a Teoria da Adaptação descrita por Calista Roy surge abordando as suas contribuições no processo de adaptação do indivíduo mastectomizada até a sua fase de ajustamento. Objetivo: refletir sobre as contribuições da teoria da adaptação no período pós- mastectomia. Material e Método: Trata-se de uma abordagem reflexiva acerca da teoria da adaptação no período de pós-mastectomia. A busca foi realizada no mês de setembro de 2021, com realização breve de uma revisão de literatura, nas bases de dados Pubmed e Google Schoolar. Utilizou-se os seguintes descritores de saúde (Decs): “Teorias de Enfermagem”, “Adaptação”, “Mastectomia” associadas ao operador booleano AND. Como critérios de inclusão: artigos completos, nos idiomas inglês, português e espanhol. Não houve delimitação de recorte temporal a fim de ampliar os resultados do estudo. Foram excluídos: artigos duplicados, pagos e que não atenderam ao objetivo proposto. Adotou-se a seguinte questão norteadora: quais são as  contribuições  da teoria da adaptação na assistência de enfermagem à pacientes mastectomizadas? Resultados e Discussão: Os estudos denotaram que mulheres mastectomizadas reagem ao pós-processo por meio das etapas de negação, defesa, raiva e até mesmo depressão sendo superadas após a fase de ajustamento devido a especificidade do sistema adaptativo de cada indivíduo proposto pela teoria. Além disso, a presença da religiosidade e a carência da família na situação descrita elevam-se corroborando com o processo de reação. Diante disso, a teoria de Roy apresenta-se como um “facilitador” no contexto de interdependência da paciente, a aplicação do pensamento teórico é realizado principalmente na esfera familiar no qual o enfermeiro inclui a família e o vínculo social no plano terapêutico. A inclusão consiste em abordagens baseadas no conceito do sistema holístico adaptável no qual o indivíduo mastectomizada responde através de estímulos, mecanismos de enfermagem e modos adaptativos contribuindo ainda para as etapas iniciais do pós-processo. Conclusão: Com base nas discussões expostas é notório as contribuições da Teoria de Roy no período pós-processo do indivíduo mastectomizado. Salienta-se então, a relevância na inserção da teoria na prática diária a fim de garantir a paciente mastectomizada uma melhor adaptação ao seu novo modo fisiológico. Implicações para a Enfermagem: O estudo reflexivo implicará em contribuições e reflexões do uso de teorias de enfermagem na prática de enfermagem, reforçando a importância para o uso do conhecimento próprio do enfermeiro norteando sua tomada de decisão e cuidado integral ao paciente.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

MONTEIRO ALVES, M. .; FERNANDES MARCELINO, B. .; BRINGEL SILVA, I. G. . CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ADAPTAÇÃO NO PERÍODO PÓS-MASTECTOMIA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 82, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/734. Acesso em: 6 jul. 2022.