HEPATITE B: UM ESTUDO REVISÃO DE LITERATURA

HEPATITIS B: A LITERATURE REVIEW STUDY

Autores

  • Renato da Silva Oliveira renatomedoliveira7@gmail.com
    Universidade Estadual do Maranhão

DOI:

10.24281/rremecs2021.6.11.30-38

Palavras-chave:

Hepatite B, Vírus, Saúde Pública, Endemicidade, Tratamento

Resumo

A hepatite B é uma doença de caráter relevante sendo um problema de saúde pública do mundo e o tipo mais grave de hepatite viral. O objetivo do estudo constitui-se da análise exploratória e descritiva dos aspectos gerais da patologia, enfatizando as medidas de prevenção, transmissão, diagnóstico e tratamento. Foi uma revisão de literatura onde realizou-se o levantamento bibliográfico referente ao assunto em bancos de dados como Scielo e da Bireme, a partir das fontes Medline e Lilacs. Através dos resultados conclui-se que a hepatite B é uma doença com distribuição universal que apresenta variações no que se refere à prevalência do vírus e os padrões de transmissão, uma vez que a função dessas características proporciona nas diferentes regiões, a divisão em áreas de endemicidade baixa, intermediária e alta. O vírus circula em altas concentrações no sangue e em baixas concentrações em outros fluidos corpóreos. Apresenta diagnóstico e medidas de profilaxia que, se realizadas de maneira adequada, podem prevenir ou garantir ideal eficácia no tratamento dos pacientes, promovendo assim uma qualidade de vida melhor para esses indivíduos. As sofisticadas vacinas são as ferramentas mais importante na imunização ativa.

Biografia do Autor

Renato da Silva Oliveira, Universidade Estadual do Maranhão

Bacharel em Medicina pela Universidade Estadual do Maranhão.

Referências

Pyrsopoulos NT. Hepatitis B. Medscape Reference. 2011. Disponível em: <http://emedicine.medscape. com/article/177632-ov erview>. Acesso em 02 mar 2021.

Dienstag JL. Drug therapy: hepatitis B virus infection. N Engl J Med. 2008; 359(14):1486-500.

Kew MC. Epidemiology of chronic hepatitis B virus infection, hepatocellular carcinoma, and hepatitis B virus-induced hepatocellular carcinoma. Pathol Biol. 2010; 58(4):273-7.

Weinbaum C, Lyerla, R, Margolis HS. CDC. Recommendations and Reports. Prevention and control of Infections with hepatitis virus in correctional settings. Morbidity and Mortality Weekly Report 2003; 52(RR01);1-33.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa Nacional de Hepatires Virais. Hepatites Virais: o Brasil está atento. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Programa Nacional de Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde. 2002.

Reuben A. Landmarks in hepatology - The thin red line. Hepatology. 2002; 36(3):770-73.

Jonas MM. Viral Hepatitis. In: Walker AW. Pediatric Gastrointestinal Disease. 2 ed. Missouri: Mosby-Year Book Inc. 1996; 1028-51.

Lavine JE. Molecular biology of hepatitis viruses. In: Walker AW. Pediatric Gastrointestinal Disease. 2 ed. Missouri: Mosby-Year Book. 1996; 1051-74.

Cavalcanti FM. Hepatite B: conhecimento e vacinação entre os acadêmicos da Faculdade de Odontologia de Caruaru - PE Odontologia. Clínica Científica. 2009; 8(1):59-65.

Fonseca JCF. História natural da hepatite crônica B. Rev Sociedade Brasileira Medicina Tropical. 2007; 40(6):672-77.

Brasil. Ministério da Saúde. 30 anos do PNI/CGPNI/DEVEP/SVS. Brasília. 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Material instrucional para capacitação em vigilância epidemiológica das hepatites virais. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2008; 116.

Roncato M, et al. Influência dos genótipos no tratamento da Hepatite B. Rev HCPA. 2008; 28(3):188-93.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para o Tratamento da Hepatite Viral Crônica B e Coinfecções. Brasília. 2009.

Arraes LC, et al. Prevalência de hepatite B em parturientes e perfil sorológico perinatal. BGO. 2003; 25(8):571-76.

Carvalho AMC, Araújo TME. Análise da produção científica sobre Hepatite B na pós-graduação de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2008; 61(4):518-22.

Campana SG. Panorama da hepatite B no Brasil e no Estado de Santa Catarina. Rev Panam Salud Publica. 2003; 14(2).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Hepatites virais: o Brasil está atento. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde. 2005; 40.

Oliveira JCM. Programa de prevenção da Hepatite B. 2003. Disponível em: <http://www.saude.pe.gov.br/artigos/biossegurança>. Acesso em 20 mar 2021.

Pinheiro J, Zeitoune RC. O Profissional de Enfermagem e a realização do teste sorológico para hepatite B. Rev Enferm UERJ. 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Hepatites. Hepatites em foco. 2010. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=18044>. Acesso em 25 mar 2021.

Divisão de Imunização. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo – DI/DH/CVE/CCD/SES-SP. Vacina contra hepatite B. Rev Saúde Pública. 2006; 40(6):1137-40.

Farhat C, Carvalho C, Carvalho L, Succi R. Infectologia pediátrica. São Paulo: Atheneu. 2007; 622.

Ferreira MS.; Borges AS. Avanços no tratamento da hepatite pelo vírus B. Rev Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2007; 40(4):451-62.

Sociedade Brasileira de Hepatologia. Hepatite B Crônica: tratamento. Projeto diretrizes. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. 2009.

Publicado

30-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Edição

Seção

Artigos