CAPACITAÇÃO DO ENFERMEIRO PARA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

Autores

  • Vitória Lorrayne Meneses Freire vitorialorrayne.m@gmail.com
  • Izabelly Virginia Pereira Jorge da Silva izabellyvirginia@gmail.com
  • Raissa Mayara da Silva Dantas raissa.dantas@maisunifacisa.com.br
  • Maria Karoline Santos Lima karolinelimaenf@gmail.com
  • Kenia Anifled de Oliveira Leite kenia.leite@maisunifacisa.com.br

Palavras-chave:

Pessoas com Deficiência Auditiva, Perda Auditiva, Comunicação

Resumo

A deficiência auditiva é caracterizada por ser um impedimento ou dificuldade de ouvir sons. Essa  alteração  acontece  devido  aos  estímulos  elétricos  que  não  conseguem  chegar  no cérebro, causada por má-formação (causa genética) ou lesão na composição do aparelho auditivo. Considera- se surdo, aquele que tem total ausência da audição e parcialmente surdo aquele que, apesar de apresentar deficiência, é funcional com ou sem o uso de prótese auditiva. Abrange ainda, os tipos de deficiência auditiva, que pode ser condutiva, mista, neurossensorial e central. Objetivo: O objetivo do presente estudo é validar através da literatura existente a importância da capacitação do enfermeiro na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Material e Método: Revisão integrativa da literatura, realizada no período de agosto a setembro de 2021 com idiomas em inglês, espanhol e português. Realizou-se a seleção dos artigos elegíveis nas bases de dados do LILACS e BDENF publicados no período de 2017 a  2021.  Foram  utilizados  os  descritores  “Pessoas  com  deficiência  auditiva”  e  “Cuidados  de Enfermagem” intercalados com o operador booleano “AND”. Foram selecionados 08 artigos como corpus de análise do estudo. Resultados e Discussão: Após análise do conteúdo foram construídas duas  categorias  temáticas.  Categoria  temática  1  -  Comunicação  ineficaz  devido  aos  modelos  de práticas formativas não inclusas. Foi identificada a necessidade de os profissionais de saúde estarem se atualizando, por meio do curso em LIBRAS, para que possam estar aptos para atender os indivíduos surdos de maneira que aconteça um atendimento satisfatório de ambas as partes. As dificuldades que os profissionais têm em comunicar-se com os surdos, fere os princípios do Sistema Único de Saúde, levando a consultas insatisfatórias. Foi reafirmada a necessidade de as instituições de ensino superior criarem estratégias e oferecer uma formação para comunicação e atenção à saúde dos deficientes auditivos. Mostra-se notório a importância do profissional na formação e capacitação necessárias para atender  à  população  com  deficiência  auditiva,  devendo  construir  conhecimento  sobre  a  Língua Brasileira de Sinais como estratégia durante a assistência à saúde. Categoria temática 2 - Estratégias tecnológicas: foi identificada a construção de vídeos como tecnologia assistiva dirigida aos surdos, sendo realizada com  êxito. Conclusão: A inclusão da LIBRAS na formação acadêmica mostra-se imprescindivelmente necessária juntamente como repensar as políticas públicas de inclusão a este segmento populacional, e uso de recursos tecnológicos associados, como forma de garantir acessibilidade e um acolhimento adequado aos serviços de saúde. Implicações para a Enfermagem: A assistência em enfermagem tem por finalidade promoção da saúde, desse modo estabelecer uma comunicação qualificada com o paciente, relatando os procedimentos realizados, quais intervenções serão necessárias. No entanto, a comunicação deve ocorrer de forma adequada entre o enfermeiro e a pessoa com deficiência auditiva.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

MENESES FREIRE, V. L. .; PEREIRA JORGE DA SILVA, I. V. .; SILVA DANTAS, R. M. da .; SANTOS LIMA, M. K. .; OLIVEIRA LEITE, K. A. de. CAPACITAÇÃO DO ENFERMEIRO PARA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 75, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/727. Acesso em: 6 jul. 2022.