PROTAGONISMO DA ENFERMAGEM NA SAÚDE MENTAL DE DEPENDENTES QUÍMICOS

Autores

  • Gabriela Duarte Bezerra gabrielabezerra326@gmail.com
  • Marcia Eduarda Nascimento dos Santos marcia.eduarda@urca.br
  • Kyohana Matos de Freitas Clementino kmfreitasclementino@gmail.com
  • Sara Teixeira Braga sarinhatb2@gmail.com
  • Natannael da Silva Pereira natannael.silva@urca.br
  • Woneska Rodrigues Pinheiro woneskar@gmail.com

Palavras-chave:

Assistência de Enfermagem, Saúde Mental, Dependência Química

Resumo

A  dependência  química é um  problema socioeconômico, político e cultural, que afeta diversas dimensões na vida do indivíduo. Dada essa complexidade, o Ministério da Saúde criou uma política de atenção integral para usuários de álcool e outras drogas. Contudo, a enfermagem têm papel primordial na implantação de ações que visem promoção e prevenção do uso abusivo dessas substâncias,  bem  como medidas que minimizem  os  impactos  a saúde mental desses  indivíduos. Objetivo: Descrever as ações de enfermagem diante da promoção da saúde mental de dependentes químicos. Material e Método: Trata-se de uma revisão integrativa, realizada em Setembro de 2021, as bases selecionadas foram BDENF, LILACS, MEDLINE, CINAHAL e PUBMED acessadas via Biblioteca Virtual da Saúde e Portal da CAPES. Os DeCs utilizados foram: assistência de enfermagem, saúde mental e dependentes químicos. Os MeSH utilizados: nursing care, mental health e chemical dependentes. Utilizou-se o operador booleano AND. Foram  utilizados critérios de inclusão, artigos originais publicados em inglês, português e espanhol, sem limite de tempo. Os critérios de exclusão foram: estudos incompletos e que não abordassem a temática investigada. Após realizadas as buscas nas bases, resultaram 371 estudos, onde 45 foram selecionados para análise de elegibilidade e 362 não atenderam ao objetivo do estudo, restando 09 artigos para inclusão. Resultados e Discussão: Os estudos corroboram a ideia que o enfermeiro age na identificação e acolhimento dos usuários, estabelece relação, apoio emocional, desenvolvimento de ações de promoção da saúde como dinâmicas em grupo, oficinas e terapias como a terapia cognitivo-comportamental, faz encaminhamentos para outros locais de tratamento, fazem busca ativa e palestras na comunidade, atendimento familiar, visitas domiciliares e projeto terapêutico individual. Outro tocante nas ações de saúde mental desses indivíduos é o programa de redução de dados, que foca no indivíduo em si e não na  substância.  Conclusão:  A  dependência  química  é  também  um  transtorno  mental e  assim  um problema pode potencializar o outro. Dessa forma, os profissionais de enfermagem estão intimamente ligados a esses usuários e seus familiares, cabendo a ele desenvolver ações de prevenção e promoção que ajudem a reestabelecer a saúde do paciente para que ele possa ser reinserido na sociedade, para isso, também é necessário educação continuada para esses profissionais saberem conduzir da melhor forma possível os cuidados à esses pacientes.  Implicações para a Enfermagem: Em geral, a equipe de enfermagem desempenha papel fundamental no cuidado aos usuários químicos e a família, sendo os profissionais que mantém maior contato com os pacientes e que reconhecem precocemente as necessidades do indivíduo, da família, bem como a adesão e avanços no tratamento.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

DUARTE BEZERRA, G. .; NASCIMENTO DOS SANTOS, M. E. .; FREITAS CLEMENTINO, K. M. de .; BRAGA, S. T. .; SILVA PEREIRA, N. da; RODRIGUES PINHEIRO, W. . PROTAGONISMO DA ENFERMAGEM NA SAÚDE MENTAL DE DEPENDENTES QUÍMICOS. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 74, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/726. Acesso em: 30 jun. 2022.