CUIDADOS PALIATIVOS NOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Kyohana Matos de Freitas Clementino kmfreitasclementino@gmail.com
  • Gabriela Duarte Bezerra gabriela.duarte@urca.br
  • Gabriel Bessa Martins gabrielbessamart@gmail.com
  • Aline Sampaio Rolim de Sena aline_senna2008@hotmail.com
  • Flávia Maria Matias de Oliveira fvoliveira520@gmail.com
  • Woneska Rodrigues Pinheiro woneskar@gmail.com

Palavras-chave:

Serviço Hospitalar de Emergência, Cuidados Paliativos, Conforto do Paciente

Resumo

Cuidados paliativos requerem uma abordagem centrada no indivíduo e na família, com a finalidade de controlar e aliviar o sofrimento físico, psicossocial e espiritual, a fim de se alcançar um cuidado ideal. Contudo, nos serviços de emergência o atendimento inicial ocorre quando há a agudização dos sintomas inerentes às doenças crônicas. Após o atendimento eles devem ser encaminhados para os demais pontos de atendimento da Rede de Atenção à Saúde (RAS), entretanto, considerando as limitações nos números de leitos no sistema de saúde, muitos pacientes terminam suas vidas nesse ambiente. Objetivou-se identificar as principais características associadas aos cuidados  paliativos  nos  serviços  de  emergência.  Material  e  Método:  Trata-se  de  uma  revisão integrativa, com abordagem qualitativa e descritiva. As buscas ocorreram em setembro de 2021 nas bases MEDLINE, LILACS, IBECS, BDENF  – Enfermagem, através da Biblioteca Virtual da Saúde (BVS), utilizando os Descritores (DeCS): Serviço Hospitalar de Emergência, Cuidados Paliativos e Conforto do Paciente, combinados pelo operador booleano AND. Foram identificadas 196 referências, aplicando os critérios de inclusão: textos completos disponíveis, nos idiomas inglês, português e espanhol, publicados nos últimos 5 anos. Excluindo literatura cinzenta, editoriais e artigos de opinião. Foi realizado a leitura dos títulos e resumos, resultando em 39 estudos para leitura na íntegra. Resultados e Discussão: A amostra dessa revisão foi constituída por doze artigos. Identificou-se que a alta demanda de serviços na emergência gera uma alta carga de trabalho que explica a redução de tempo do profissional para realizar um atendimento terminal humanizado. Além disso, há a falta de recursos humanos, de equipamentos, de materiais de consumo e a insuficiência de área física que limitam a promoção de conforto, controle da dor, manutenção da privacidade e presença dos familiares no processo de morte. A frustração desses profissionais surge pela dificuldade em fornecer um nível adequado de cuidado, pela insegurança relacionada aos déficits educacionais nos aspectos legais e éticos, e ao processo de luto vivido pelos familiares. Conclusão: Por fim, destaca-se a importância da vivência  e  percepção  do  próprio  profissional sobre  o  processo  de  morte  nos  cuidados  terminais, revelando a importância de capacitações profissionais, com a intenção de desconstruir as práticas ofertadas nos serviços de urgência e emergência, qualificando a assistência prestada, acolhendo os profissionais, e oferecendo condições de reconhecimento da importância do espaço que ocupam nas vidas que estão no fim. Implicações para a Enfermagem: A enfermagem têm o papel fundamental de planejar intervenções de orientação, suporte e apoio para toda a família. Sendo assim, percebe-se a necessidade de formação de profissionais que atendam aos aspectos éticos e legais, às necessidades dos pacientes e que possibilitem um suporte à família e ao cuidador.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

FREITAS CLEMENTINO, K. M. de .; DUARTE BEZERRA, G.; BESSA MARTINS, G. .; ROLIM DE SENA, A. S. .; MATIAS DE OLIVEIRA, F. M. .; RODRIGUES PINHEIRO, W. . CUIDADOS PALIATIVOS NOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 70, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/722. Acesso em: 6 jul. 2022.