A IMPORTÂNCIA DAS VACINAS NA PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DE DOENÇAS

THE IMPORTANCE OF VACCINES IN THE PREVENTION AND ERADICATION OF DISEASES

Autores

  • Fabio Aparecido Rocha da Silva fabio.apsrocha@gmail.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Sara Pereira Alencar saraalencarp@outlook.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Victoria de Souza Silva victoria.souza1403@gmail.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Ludmila Nakamura Rapado rapado.ludmila@estacio.br
    Faculdade Capital Federal

DOI:

10.24281/rremecs2021.6.11.19-29

Palavras-chave:

Vacina, Vacinação, Antivacina, Sarampo

Resumo

A pesquisa tem o objetivo de identificar a relevância e a eficácia das campanhas de vacinação com ênfase na campanha de vacinação contra o sarampo, analisando os impactos negativos que a não vacinação podem trazer para a população. Foi utilizado o método de pesquisa quali-quantitativa e revisão bibliográfica. De acordo com os resultados, foi identificado que o Brasil vem apresentando dados alarmantes de casos de Sarampo desde 2018. As possíveis causas para esse ressurgimento se dão pelas movimentações estrangeiras, como a chegada de imigrantes da Venezuela e movimentações nacionais onde encontra-se baixa cobertura vacinal. Como fator contribuinte para este cenário, podemos citar o movimento antivacina e a propagação de informações falsas, que colaboram para a hesitação e/ou recusa vacinal. O Ministério da Saúde, aliado ao profissional da saúde deve alertar a sociedade sobre os benefícios da vacinação, promovendo campanhas com avaliações constantes das coberturas vacinais.

Biografia do Autor

Fabio Aparecido Rocha da Silva, Faculdade Estácio de Carapicuíba

Acadêmico do Curso de Farmácia na Faculdade Estácio de Carapicuíba.

Sara Pereira Alencar, Faculdade Estácio de Carapicuíba

Acadêmica do Curso de Farmácia na Faculdade Estácio de Carapicuíba.

Victoria de Souza Silva, Faculdade Estácio de Carapicuíba

Acadêmica do Curso de Farmácia na Faculdade Estácio de Carapicuíba.

Ludmila Nakamura Rapado, Faculdade Capital Federal

Bióloga. Doutora e Mestre em Ciências. Docente nas instituições de Ensino Superior: Faculdade Estácio de Carapicuíba e Faculdade Capital Federal.

Referências

World Health Organization, (WHO). Vaccines and immunization. 2021. Disponível em: <https://www.who.int/health-topics/vaccines-and-im munization#tab=tab_1>.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância em Saúde no Brasil: 2003-2019. Boletim Epidemiológico. 2019. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.b r/images/pdf/2019/setembro/25/boletim-especial-21ago19-web.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Situação do Sarampo no Brasil: 2018-2019. Informe Nº 37/2019. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/p df/2019/marco/19/Informe-Sarampo-n37-19mar19aed.pdf>.

Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Sarampo. 2021. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/topicos/sarampo>.

Brasil. Ministério da Saúde. Especialistas falam sobre o impacto das notícias falsas nas coberturas vacinais do país. 2021. Disponível em <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/ especialistas-falam-sobre-o-impacto-das-noticias-fals as-nas-coberturas-vacinais-do-pais>.

Couto IA, Granja ERS, Garcia ACC, Facanalli DCS, Moura DM, Mendes GF, et.al. As causas e as consequências da recusa vacinal na realidade brasileira. Brazilian Journal of Health Review. 2019; 4(5):18893-908.

Brasil. Ministério da Saúde. Biblioteca Virtual em Saúde. Relatório da verificação dos critérios de eliminação da transmissão dos vírus endêmicos do sarampo e rubéola e da síndrome da rubéola congênita (SRC) no Brasil. 2021. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relatorio_verificacao_criterios_eliminacao_sarampo.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância epidemiológica do sarampo no Brasil 2019: janeiro a dezembro. Boletim Epidemiológico. 2020; 51(6):1-18. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/images/ pdf/2020/April/08/Boletim-epidemiologico-SVS-06-v 2.pdf>.

Ministério da Saúde (BR). Vigilância epidemiológica do sarampo no Brasil 2020: semanas epidemiológicas 1 a 53. Boletim Epidemiológico. 2021; 52(3):16-25. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/media/p df/2021/fevereiro/01/boletim_epidemiologico_svs_3.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância epidemiológica do sarampo no Brasil: semanas epidemiológicas 1 a 26 de 2021. Boletim Epidemiológico. 2021; 52(27):9-18. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/media/pdf/2021/j ulho/26/boletim_epidemiologico_svs_27.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Coberturas vacinais no Brasil: Período 2010 - 2014. PNI - Programa Nacional de Imunizações. 2015. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/17/AACOBERTURAS-VACINAIS-NO-BRASI L---2010-2014.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Sarampo: Brasil atinge 99,4% de cobertura vacinal em 2019. 2019. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/noticias /agencia-saude/46146-sarampo-brasil-atinge-99-4-de -cobertura-vacinal-em-2019>.

United Nations International Children's Emergency Fund (UNICEF). Estudo qualitativo sobre os fatores econômicos, sociais, culturais e da política de saúde relacionados à redução das coberturas vacinais de rotina em crianças menores de cinco anos. 2020. Disponível em: <https://www.unicef.org/brazil/ media/11001/file/estudo-fatores-relacionados-reduc ao-coberturas-vacinais-de-rotina-em-criancas-menor es-5-anos.pdf>.

Medeiros EAS. Entendendo o ressurgimento e o controle do sarampo no Brasil. Acta Paul Enferm. 2020; 33:e-EDT20200001.

Brasil. Ministério da Saúde. Situação do Sarampo no Brasil - 2019. Informe Nº 36/2019. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/janeiro/28/Informe-Sarampo-n36-24jan19aed.pdf>.

Chaves ECR, Júnior KNT, Andrade BFF, Mendonça MHR. Avaliação da cobertura vacinal do sarampo no período de 2013-2019 e sua relação com a reemergência no Brasil. Rev Eletrônica Acervo Saúde. 2020; 38. Disponível em: <https://acervomais.com. br/index.php/saude/article/view/1982>.

Branco VGC, Morgado FEF, O surto de sarampo e a situação vacinal no brasil. Rev Medicina Família Saúde Mental. 2019; 1(1).

Garbin AG, Cruz ND, Soeiro AG, Bernardo EO, Jahn AC, Zancan S. Sarampo no Brasil: mais de 36 mil casos de sarampo notificados desde 2018. Research, Society and Development. 2020; 9(11):1-10.

G1 Santos. Ministério da Saúde confirma surto após 13 casos de sarampo dentro de navio de cruzeiros em Santos. G1 globo.com. 2019. Disponível em: <https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/porto-m ar/noticia/2019/02/20/ministerio-da-saude-confirma -surto-apos-13-casos-de-sarampo-serem-confirmado s-em-navio-no-porto-de-santos.ghtml>.

Machado LFB, Ferreira NMS, Damasceno CR, Santos ACP, Pereira CD, César JJ. Recusa vacinal e o impacto no ressurgimento de doenças erradicadas. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research. 2020 jul. 22. 32(1):12-6.

Junior VLP. Comunicação breve: Anti-vacinação, um movimento com várias faces e consequências. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário. 2019; 8(2):116-22.

Silva MR, Teles LAS, Andrade EGS. Antivacinação: um movimento consequente na realidade brasileira. Rev Iniciação Científica Extensão. 2020; 3(2):483-9.

Almeida C. Radar da América Latina: surto de sarampo ameaça saúde pública. SciDev.Net. 2019. Disponível em: <https://www.scidev.net/america-la tina/columns/radar-latinoamericano-brote-de-saram pion-es-amenaza-para-la-salud-publica/>.

Saraiva LJC, Faria JF. A Ciência e a Mídia: A propagação de Fake News e sua relação com o movimento anti-vacina no Brasil. Intercom. 2019. Disponível em: <https://portalintercom.org.br/anais/ nacional2019/resumos/R14-1653-1.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde sem fake news. 2020. Disponível em: <https://antigo.saude. gov.br/fakenews/>.

Publicado

30-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Edição

Seção

Artigos