EXPERIÊNCIAS DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM COM A TEMÁTICA MORTALIDADE MATERNA

Autores

  • Julianne de Figueiredo da Costa julianne.figueiredo26@gmail.com
  • Simone Aguiar da Silva Figueira simoneaguiar@uepa.br
  • Claudianna Silva Pedrosa pedrosaclaudianna@gmail.com
  • Naiandra Jociely Ferreira Rêgo naiandra.ferreira21@gmail.com
  • Rosângela Carvalho de Sousa rosangelasousa453@gmail.com
  • Yasmim Silva Sousa yasmimsilva2605@gmail.com

Palavras-chave:

Cuidado de Enfermagem, Mortalidade Materna, Método de Ensino

Resumo

É considerado mortalidade materna (MM), o óbito que ocorre durante o período gestacional, parto ou até 42 dias pós-parto. As taxas de mortalidade representam um grave problema de saúde pública no Brasil, pois reflete uma desigualdade econômica, falha no sistema de saúde e um atentado aos direitos reprodutivos das mulheres. Para tentar mudar essa realidade, no ano 2000 foi desenvolvida uma política pública a nível nacional, o Programa de Humanização do Parto e Nascimento e, foi adicionada como uma das metas do milênio essa redução da mortalidade materna. Objetivo: Descrever a experiência vivenciada por discentes do curso de graduação em enfermagem da Universidade do Estado do Pará (UEPA) sobre a temática mortalidade materna abordada na disciplina Saúde da Mulher. Material e Método: Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência, realizado por acadêmicas do curso de enfermagem sobre o ensino da mortalidade materna dentro da grade curricular de saúde da mulher. Resultados e Discussão: A disciplina de saúde da mulher é cursada no sexto semestre do curso de graduação em enfermagem, com carga horária teórico prática, porém percebemos que a temática em questão foi pouco discutida em sala de aula uma vez que a quantidade de conteúdos da disciplina é extensa. No entanto, acreditamos que há grande necessidade de ampliar a discussão e o conhecimento cientifico sobre a MM no processo de ensino aprendizagem, com maior enfoque nas estratégias e condutas para capacitar os acadêmicos para intervir e prevenir este grande agravo social, uma vez que seus altos índices exigem compromisso dos futuros profissionais, que precisam conhecer os fatores que contribuem diretamente para o aumento da MM. Apesar do pouco tempo para abordagem do assunto, a Metodologia da Problematização utilizada pelo curso de enfermagem contribuiu para que a turma conseguisse debater sobre o tema através de rodas de conversas, análise e discussão de artigos e casos clínicos e possíveis formas de intervenção em cada situação e dramatizações de como agir frente a uma situação de morte materna. Conclusão: Levando em consideração a experiência vivenciada, deve-se haver um olhar mais voltado para essa temática afim de promover mais debates dentro da universidade sobre o assunto e capacitar os futuros profissionais para atuarem na atenção básica com a finalidade de prevenir a mortalidade materna. Implicações para a Enfermagem: A atuação do profissional de enfermagem na redução da mortalidade materna  é  de  grande  relevância, uma vez que este profissional tem  um  grande contato com  as mulheres tanto durante o pré-natal como durante o parto e pós-parto nas consultas da unidade de saúde e maternidade, por isso, é de extrema necessidade que o enfermeiro esteja sempre capacitado para promover um atendimento de qualidade a esse público.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

FIGUEIREDO DA COSTA, J. de .; SILVA FIGUEIRA, S. A. da .; SILVA PEDROSA, C. .; FERREIRA RÊGO, N. J. .; CARVALHO DE SOUSA, R.; SILVA SOUSA, Y. . EXPERIÊNCIAS DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM COM A TEMÁTICA MORTALIDADE MATERNA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 64, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/716. Acesso em: 6 jul. 2022.