REGISTROS DE ENFERMAGEM NA ONCOLOGIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Karina Medeiros Santos kaamedes@edu.unirio.br
  • Anara da Luz Oliveira anaraluzoli@yahoo.com.br
  • Lucian da Silva Viana lucianviana@yahoo.com.br

Palavras-chave:

Enfermagem Oncológica, Estudantes de Enfermagem, Registros de Enfermagem

Resumo

O registro das informações inerentes ao processo de cuidar na quimioterapia antineoplásica contribui para a avaliação da resposta ao tratamento quimioterápico, possibilita a comunicação efetiva entre os profissionais e assegura a continuidade e qualidade da assistência prestada, além de ser um respaldo legal aos profissionais. Objetivo: Relatar a experiência de uma acadêmica de Enfermagem diante do uso de um instrumento de evolução de enfermagem na infusão de quimioterápicos, em um serviço de oncologia. Material e Método: Trata-se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, sobre o primeiro mês de implantação e uso de um instrumento padrão para avaliação de enfermagem na  infusão  de  quimioterápicos,  a  partir  da  vivência  da  aluna  no estágio curricular da graduação, desenvolvido em um Ambulatório de Oncologia Clínica de um hospital Universitário no município do Rio de  Janeiro,  RJ,  no  período  de  agosto  a  setembro  de  2021.  As  atividades  no ambulatório foram realizadas sob a supervisão dos enfermeiros preceptores e especialistas em Oncologia. Resultados e Discussões: Durante a permanência no setor, realizou-se a assistência ao paciente e o registro no instrumento  de  evolução,  este  foi  implementado  em  agosto  de  2021.  Através  do  instrumento  foi possível  acompanhar  a  evolução  dos  pacientes  durante  os  ciclos  de  quimioterapia,  pois  nele continham: 1 - identificação do paciente (nome, protocolo quimioterápico, ciclo, medicamentos em uso, diagnóstico médico); 2 - avaliação de sinais vitais incluindo a avaliação da dor pela escala de EVA; 3 - condições  gerais  do  paciente  (Performance  status,  deambulação,  presença  de  acompanhante, presença de lesões, estomias e dispositivos, débito urinário); 4 - exame do acesso venoso (tipo e região do acesso, número de punções), este auxiliando diretamente no encaminhamento para a implantação de cateter profundo e 5 - registro de intercorrências durante a infusão, como extravasamento e reação adversa grave. Diariamente eram aplicadas as escalas de Graduação de Toxicidades (CTCAE, versão 4.0) e avaliação funcional (ECOG), buscando manifestações clínicas relacionadas ao tratamento quimioterápico. E por fim, eram registradas as orientações gerais e individualizadas, a fim de minimizar reações  adversas  do  tratamento.  O  registro  dessas  informações  permitiu identificar alterações  na condição dos pacientes, dialogar com a equipe e intervir com o cuidado necessário. Conclusão: O instrumento padronizado no serviço para avaliação do paciente em tratamento quimioterápico foi complementar ao processo de cuidado, fornecendo subsídios à acadêmica para realizar a assistência ao paciente. Implicações para a enfermagem: Esse relato evidencia a importância da avaliação, registro e evolução da assistência de enfermagem prestada ao paciente em tratamento quimioterápico.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

MEDEIROS SANTOS, K. .; LUZ OLIVEIRA, A. da .; SILVA VIANA, L. da . REGISTROS DE ENFERMAGEM NA ONCOLOGIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 62, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/714. Acesso em: 30 jun. 2022.