DESAFIOS DA PARENTALIDADE TRANSGÊNERO: REVISÃO NARRATIVA

Autores

  • Matheus Cesar Sousa matheusceh12@gmail.com
  • Ingrid Mikaela Moreira de Oliveira ingrid_lattes@hotmail.com

Palavras-chave:

Transexualidade, Parentalidade, Pessoas Transgênero

Resumo

O termo transgênero se refere às pessoas cujo sexo biológico, estabelecido ao nascimento, é incoerente com o gênero no qual se reconhecem. No decorrer da história, o molde de família era comumente relacionado e pensado a casais cisgêneros  e heterossexuais. Ao pautar-se sobre as relações   de   reprodução   e   parentalidade   de   indivíduos   transgêneros,   estas   se   mostram prevalentemente invisibilizadas. Objetivo: Apontar, de acordo com a literatura científica, os desafios enfrentados na parentalidade transgênero.  Material e Método: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura, realizada no mês de junho de 2021, tendo como fontes de dados, a biblioteca Scientific Electronic Library Online (SciELO) e a literatura cinzenta Google Acadêmico, utilizando como estratégia de busca: Transexualidade AND Parentalidade AND Transgênero. Tendo como critérios de inclusão: tipo de documento artigo, idioma português, sem delimitação de ano de publicação, e como critérios de exclusão:  documentos  que fugiam  à temática proposta. Assim, totalizando quatro documentos  na amostra final. Resultados e Discussão: Foi possível observar a explícita escassez de materiais relacionados  à  parentalidade  transgênero.  Assim,  tornando-se  indispensável fazer  mais  pesquisas sobre este assunto. Tendo em vista que a maioria da população considera as pessoas trans como seres desprezíveis, suas relações parentais seriam tidas ainda mais incompreensíveis, incabíveis, inaceitáveis, desprezadas e horrendas. Além do mais, este público se depara com impasses referentes aos serviços e políticas de saúde. Dentre as principais adversidades encontradas, está a dificuldade da admissão nos serviços de saúde, como exemplo disso, temos: os comportamentos discriminatórios, a patologização da transexualidade, o desrespeito quanto ao uso do nome social, a inaptidão dos profissionais face às solicitações e singularidades desse grupo, a incompreensão sobre algumas temáticas, que, comumente, só levam em consideração os aspectos cis-heteronormativos da sociedade, dentre outros. Conclusão: Diante disso, é importante destacar que haja debates sobre essa temática, para que possam ser promovidas e efetuadas novas políticas públicas e que as atuais políticas, já designadas a este grupo, sejam colocadas em ação da melhor forma possível. Da mesma maneira, é imprescindível que a integralidade, a equidade e a universalidade se encontrem presentes em toda a assistência de saúde e que ações de cunho permanente de propagação do direito ao atendimento, sem discriminação e livre de discursos de ódio, respeitando o uso do nome social, além do debate sobre a importância da admissão nos serviços de saúde do SUS, sejam postas em prática. Implicações para a Enfermagem: Dada a sua presença constante nos serviços de saúde e pelo alto grau de interação com os pacientes, a enfermagem deve atender a pessoa trans em toda a sua singularidade, respeitando a diversidade de gênero a fim  de garantir o seguimento do cuidado e construção de uma sociedade mais inclusiva.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

CESAR SOUSA, M. .; MOREIRA DE OLIVEIRA, I. M. . DESAFIOS DA PARENTALIDADE TRANSGÊNERO: REVISÃO NARRATIVA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 50, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/702. Acesso em: 30 jun. 2022.