HIPERCALCEMIA COMO EMERGÊNCIA MÉDICA EM PACIENTES ONCOLÓGICOS

HYPERCALCEMIA AS A MEDICAL EMERGENCY IN ONCOLOGICAL PATIENTS

Autores

  • José Brunuelisson Cavalcante Silva josesilva@fiponline.edu.br
    Universitário de Patos
  • Melyssa Rocha Silvestre de Oliveira melyssaoliveira@fiponline.edu.br
    Universitário de Patos
  • Iana Larissa Diniz Nogueira iananogueira@fiponline.edu.br
    Universitário de Patos
  • Renata Cristina Correia da Silva Amorim renatasilvestre@fiponline.edu.br
    Universitário de Patos
  • Milena Nunes Alves de Sousa milenanunes@fiponline.edu.br
    Universitário de Patos https://orcid.org/0000-0001-8327-9147

DOI:

10.24281/rremecs2021.6.11.3-11

Palavras-chave:

Hipercalcemia, Malignidade, Emergência

Resumo

A hipercalcemia possui causas variadas, mas alguns diagnósticos diferenciais são de importante entendimento, como é o caso da hipercalcemia de malignidade (HCM), hiperparatireoidismo primário e causas exógenas. Uma das condições apresentadas por pacientes oncológicos é a HCM, uma emergência oncológica comum, pois cerca de 20%-30% dos pacientes com câncer vão apresentar hipercalcemia induzida por malignidade, considerado um marco de pior diagnóstico. O presente estudo tem como objetivo verificar o perfil etiológico e a efetividade do manejo emergencial de hipercalcemia em pacientes oncológicos. Foi adotada uma revisão integrativa de literatura utilizando as bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde e National Center for Biotechnology Information. Ao aplicar os Descritores em Ciências da Saúde associados ''Hipercalcemia'' AND ''Oncologia'' AND ''Emergência'', juntamente a aplicação dos critérios de exclusão, foi contabilizado, por fim, dez documentos. Predominaram estudos que apresentaram pacientes com tumor gastrointestinal. No que tange ao tamanho-amostral, metade dos estudos foi realizada com uma população contendo um indivíduo, enquanto a outra metade englobou mais de 1 paciente. Na categorização, todos os estudos demonstraram potencialidade para o tratamento e manejo emergencial de pacientes com hipercalcemia de malignidade. Conclui-se que grande parte dos pacientes com hipercalcemia da malignidade tem efetividade em seu tratamento, tornando o mesmo eficaz durante as emergências.

Biografia do Autor

José Brunuelisson Cavalcante Silva, Universitário de Patos

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Patos, Paraíba - PB, Brasil.

Melyssa Rocha Silvestre de Oliveira, Universitário de Patos

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Patos, Paraíba - PB, Brasil.

Iana Larissa Diniz Nogueira, Universitário de Patos

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Patos, Paraíba - PB, Brasil.

Renata Cristina Correia da Silva Amorim, Universitário de Patos

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Patos, Paraíba - PB, Brasil.

Milena Nunes Alves de Sousa, Universitário de Patos

Doutora e Pós-Doutra em Promoção de Saúde. Docente no Curso de Medicina do Centro Universitário de Patos, Patos, Paraíba, Brasil.

Referências

Martin LNC, Kayath MJ. Abordagem clínico-laboratorial no diagnóstico diferencial de hipercalcemia. Arq Bras Endocrinol Metab. 1999; 43(6):472-9.

Hygum K, Wulff CN, Harsløf T, Boysen AK, et al. Hypercalcemia in metastatic GIST caused by systemic elevated calcitriol: a case report and review of the literature. BMC Cancer. 2015; 15(1):788.

Barbaryan A, Bailuc S, Poddutoori P, Richardson A, Mirrakhimov AE. Gastrointestinal Stromal Tumor Induced Hypercalcemia. Case Reports in Oncological Medicine. BMC Cancer. 2017; 1-4.

Trisal D, Kumar N, Sundriyal D, Gadpayle AK. Hypercalcaemia of malignancy: two primaries in the same patient. BMJ Case Rep. 2014; bcr2014204368.

Tinawi M. Disorders of Calcium Metabolism: Hypocalcemia and Hypercalcemia. Cureus. 2021; 13(1):e12420.

Botelho LLR, Cunha CCA, Macedo M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. GeS. 2011; 5(11):121-136.

Rodríguez-Gutiérrez R, Zapata-Rivera MA, Quintanilla-Flores DL, Camara-Lemarroy CR, Lavalle-Gonzalez FJ, et al. 1,25-dihydroxyvitamin D and PTHrP mediated malignant hypercalcemia in a seminoma. BMC Endocr Disord. 2014; 14(1):32.

Ibrahim T, Mercatali L, Amadori D. A new emergency in oncology: Bone metastases in breast cancer patients (Review). Oncol Lett. 2013; 6(2):306-10.

Chau T, Chen AY. Successful stereotactic body radiation therapy for stage I non-small cell lung cancer with malignant hypercalcemia - Case report. J Radiosurg SBRT. 2018; 5(3).

Thosani S, Hu MI. Denosumab: a new agent in the management of hypercalcemia of malignancy. Future Oncol. 2015; 11(21):2865-71.

Sohi R, Sheppard G. Hypercalcemia of Malignancy: An Emergency Medicine Simulation. Cureus. 2017; 9(11):e1847.

Brigle K, Pierre A, Finley-Oliver E, Faiman B, et al. Myelosuppression, bone disease, and acute renal failure: evidence-based recommendations for oncologic emergencies. Clin J Oncol Nurs. 2017; 60-76.

Klemencic S, Perkins J. Diagnosis and management of oncologic emergencies. West J Emerg Med. 2019; 20(2):316-22.

Ahn SW, Kim TY, Lee S, Jeong JY, et al. Adrenal insufficiency presenting as hypercalcemia and acute kidney injury. Int Med Case Rep J. 2016; 9:223-6.

Zagzag J, Hu MI, Fisher SB, Perrier ND. Hypercalcemia and cancer: differential diagnosis and treatment: mini-review. CA: Cancer J Clin. 2018; 68(5):377-86.

Farias MLF. A hipercalcemia nas malignidades: aspectos clínicos, diagnósticos e terapêuticos. Arq Bras Endocrinol Metab. 2005; 49(5):816-24.

Publicado

30-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Edição

Seção

Artigos