EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS DO GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Autores

  • Francisco Freitas Gurgel Júnior gurgel.junior@uol.com.br
  • Maria Salete Bessa Jorge maria.salete.jorge@gmail.com

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Enfermagem, Gerenciamento

Resumo

O gerenciamento em Enfermagem, constitui-se de atividade complexa e polêmica visto que, cada vez mais, exige das profissionais competências (cognitivas, técnicas e atitudinais) na implementação de estratégias adequadas às atuais tendências administrativas contemporâneas que convergem para os anseios da organização e de seus gestores. Apesar de ser o gerenciamento uma atividade conferida por lei, observamos a necessidade de um esforço conjunto da academia e dos serviços, para rever as práticas e as intervenções necessárias no âmbito gerencial, repensando as dicotomias existentes entre os propósitos e os projetos de formação da força de trabalho em saúde e nos serviços, implicando mudanças na visão de mundo, de idealista para realista. Objetivo: Analisar a produção científica sobre gerenciamento em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde, em periódicos brasileiros, por meio do levantamento bibliográfico das publicações ocorridas no período de 2016 a 2020. Material e Método:  Realizou-se  um  levantamento  bibliográfico  nas  bases  de  dados  BVS  e PUBMED, encontrou-se trabalhos relevantes ao tema e publicados entre os anos de 2016 a 2020. Com o material coletado, fez-se a leitura flutuante e fichamentos, possibilitando uma visão abrangente do conteúdo. A organização do material complementou-se com a técnica de análise de conteúdo.  Dos textos submetidos ao sistema de categorização apreenderam-se quatro categorias. Resultados e Discussão: Diante das discussões apresentadas, é notável que ainda predomine o estilo gerencial baseado em modelo tradicional no desempenho de atividades de controle sobre as pessoas e sobre o material, muitas vezes por imposição da gestão superior. A presença de autoritarismo nas decisões que envolvem a equipe dificulta a participação nos espaços sociais e políticos e o desenvolvimento da autonomia profissional. Sem  dúvida, alguns serviços  já respondem  às  exigências  do mercado de trabalho talvez com maior rapidez do que propõe a formação na academia, que caminha a passos lentos, pelo distanciamento entre teoria e prática. O gerenciamento foi evidenciado como instrumento a identificação e maior resolutividade dos problemas surgidos na APS. Percebeu-se o papel protagonista do  Enfermeiro  quanto  à  identificação,  planejamento,  coordenação  e  execução  dos  programas.  A análise mostrou que o gerenciamento pelo Enfermeiro colabora intrinsecamente na organização do serviço, com  eficiência efetividade e eficácia na solução de problemas/conflitos, bem como maior qualidade na promoção de saúde ao usuário. Conclusão: O gerenciamento dos serviços de saúde na APS  pelos  Enfermeiros,  para  além  de  sua  atuação  assistencial,  possui  papel  relevante  para  a promoção da saúde, universalizada, integral e equânime no Brasil. Implicações para a Enfermagem: Construir espaços para uma gestão compartilhada em relação ao cuidado com o paciente/cliente, integrando a equipe, motivando-os a encontrar estratégias para minimizar as dificuldades com posturas éticas e fortalecidas pelo aprimoramento da profissão por meio de pesquisas e educação permanente.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

FREITAS GURGEL JÚNIOR, F. .; BESSA JORGE, M. S. . EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS DO GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 46, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/698. Acesso em: 6 jul. 2022.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.