FATORES DESENCADEANTES DA SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM ATUANTES EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA

Autores

  • Kathelen J. Fernandes da Silva kathelenfds@gmail.com
  • Josei Karly S. C. Motta josei.motta@estacio.br
  • Adriele Cristina Gomes Dias adrielly.cristina@hotmail.com
  • Larissa Rocha de Moura Fial larissaoliveira3m@icloud.com
  • Maria Eduarda Silva duda.eduarda8689@gmail.com

Palavras-chave:

Equipe de Enfermagem, Esgotamento Profissional, Unidade de Terapia Intensiva

Resumo

O surgimento da nomenclatura Burnout com seu significado Burn: queimar-se e Out: fora, ou seja, queimar-se de dentro para fora, ocorreu em 1969 por Schaufeli & Ezmmann tornando-se objeto de publicação do psicanalista alemão Freudenberger, que a definiu como “um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional”. Ao longo dos anos pode-se observar o crescente aumento nos casos de Síndrome de Burnout (SB) nos trabalhadores da Saúde em todo o mundo, o que chamou a atenção da Organização Mundial de Saúde (OMS), tornando a SB como uma doença a ser inserida no Classificação Internacional de Doença (CID). A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é classificada pelo Ministério da Saúde (MS), como um ambiente laboral com alta taxa de complexidade, onde os profissionais da Enfermagem, estão vulneráveis a desenvolver a Síndrome de Burnout, pois os fatores estressores envolvem o local de trabalho, levando esses profissionais ao desgaste emocional, físico e psíquico. Objetivo: Descrever os fatores desencadeantes e o impacto da SB, nos enfermeiros e técnicos de enfermagem, atuantes em UTIs adulto nacionais. Material e Método: Refere-se a uma revisão integrativa qualitativa caracterizada pela busca ordenada e sistematizada. Para levantamento dos artigos foi realizado busca online na Biblioteca Virtual (BVS), MEDLINE, PUBMED e SCIELO, no período de dezembro de 2020 a março de 2021. Os critérios de inclusão foram: textos publicados em português ou inglês; disponíveis na íntegra; que utilizavam no tema ou em seu resumo os DeCS; pesquisas realizadas com enfermeiros e técnicos de enfermagem intensivistas em UTIs adulto em território nacional; com data de publicação entre 2015 a 2020. O critério de exclusão foram artigos que fizeram fuga ao tema. Resultado e Discussão: Os estudos demostraram, que o constante contato com estressores laborais como: carga horária excessiva, relacionamento interpessoal, ambiente de trabalho, contribui para o surgimento da SB ou do Esgotamento Profissional (EP), nos enfermeiros e técnicos de enfermagem intensivistas. Conclusão: Constatou-se, que o constante contato com os estressores laborais e a execução de multitarefas, contribui diretamente para o desenvolvimento da SB ou EP, comprometendo a qualidade de vida e as relações interpessoais desses profissionais. Implicações para Enfermagem: A SB pode levar os Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem,  a  despersonalização,  redução  na  qualidade  do  atendimento  prestado  ao  paciente, declínio na relação interpessoal entre a equipe de Enfermagem, impactos na qualidade de vida e desempenho profissional.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

FERNANDES DA SILVA, K. J. .; MOTTA, J. K. S. C. .; GOMES DIAS, A. C. .; MOURA FIAL, L. R. de; SILVA, M. E. . FATORES DESENCADEANTES DA SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM ATUANTES EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 38, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/690. Acesso em: 30 jun. 2022.