SALA DE AULA INVERTIDA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE ENFERMAGEM CIRÚRGICA

Autores

  • Milena Conceição Pereira da Silva milena.pereirasilva@ufpe.br
  • José Luiz de Campos Ribeiro Júnior luiz.camposj@ufpe.br
  • Thayná Karollyne Carvalho Silva thayna.carvalho@ufpe.br
  • Thais Monteiro de Lucena thais.mlucena@ufpe.br
  • Karla Hellen Dias Soares karla.hellen@ufpe.br
  • Estela Maria Leite Meirelles Monteiro estela.monteiro@ufpe.br

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem, Enfermagem Perioperatória, Ensino

Resumo

A efetividade no processo ensino-aprendizagem no ensino em enfermagem encontra-se associada a utilização de metodologias ativas, que oportunizam a participação dos educandos na construção  do  conhecimento  e  desenvolvimento  de  competências  e  habilidades.  A  sala  de  aula invertida é uma metodologia instigante, inovadora e com potencial para a construção de conhecimento dinâmico, protagonizando o estudante como agente principal da formação do saber articulado teórico- prático. Objetivo: Relatar a experiência de monitores na utilização da sala de aula invertida na disciplina de “Bases Práticas de Enfermagem em Situações Cirúrgicas do Adulto e Idoso”. Método: O relato de experiência possibilita o compartilhamento no contexto acadêmico de vivências assistenciais, administrativas ou educacionais. Neste estudo relatamos a experiência vivenciada com a aplicação da técnica  de  sala  invertida  na  formação  do  graduando  em  enfermagem  em  Centro Cirúrgico (CC), Recuperação Anestésica (RA) e Centro de Material e Esterilização (CME). A técnica fomentou uma construção de conhecimento teórico articulado a inserção prévia dos graduandos nas respectivas unidades de instituições hospitalares públicas. Resultados e Discussão: A utilização da sala de aula invertida permitiu retomar as vivências nos serviços, com ênfase na discussão acerca da atuação do enfermeiro perioperatório em procedimentos de degermação de medidas assépticas, no controle do processo de esterilização e nos indicadores de qualidade do processo de trabalho em CME; como também  na  execução  da  Sistematização  da  Assistência Perioperatória (SAEP), destacando-se as medidas de segurança do paciente cirúrgico, considerando as especificidades na assistência ao paciente em Recuperação Anestésica. Foram desenvolvidas estações de aprendizagem. Com foco em Centro Cirúrgico, foram realizadas duas estações, envolvendo a discussão de estudo de caso, elaboração de plano de cuidados ao paciente no CC (SAEP), e revisão de alguns procedimentos, tais como: degermação; paramentação; instrumentação; aposição de campos; e retirada de pontos. A Recuperação Anestésica fundamentou a 3° estação, com discussão de estudo de caso e elaboração de plano de cuidados ao paciente na RA. Na 4° estação, referente a atuação do enfermeiro no CME, discutiram-se os conhecimentos acerca dos processos de esterilização pelos métodos físico e físico- químico e a validação do processo de esterilização (indicadores químicos e biológicos; invólucros). Concluiu-se a sala de aula invertida com a realização de uma gincana acadêmica envolvendo os conteúdos teórico-práticos trabalhados. Implicações para a Enfermagem: O espaço dialógico da sala de aula invertida, propiciou maior consistência e profundidade nas discussões sobre a atuação do enfermeiro perioperatório, com aprimoramento dos conhecimentos que fundamentam o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias para uma assistência de enfermagem ético-humanística comprometida com a qualidade. Tal metodologia proporciona ao graduando mais autonomia  na  construção  dos  saberes,  com  desenvolvimento  do  raciocínio  crítico  com  foco  na resolução dos problemas de maneira eficiente e criativa.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

PEREIRA DA SILVA, M. C.; CAMPOS RIBEIRO JÚNIOR, J. L. de; CARVALHO SILVA, T. K. .; MONTEIRO DE LUCENA, T. .; DIAS SOARES, K. H. .; LEITE MEIRELLES MONTEIRO, E. M. . SALA DE AULA INVERTIDA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE ENFERMAGEM CIRÚRGICA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 30, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/682. Acesso em: 30 jun. 2022.