SAÚDE DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E A DEPENDÊNCIA QUÍMICA

Autores

  • Luiz Faustino dos Santos Maia dr.luizmaia@yahoo.com.br
  • Ana Maria Sanches ana.sanches@iamspe.sp.gov.br
  • Cidia Vasconcellos vcidia@gmail.com

Palavras-chave:

Enfermagem, Dependência Química, Saúde Pública

Resumo

A   dependência   química  é  caracterizada  como  uma  doença  crônica,  multicausal, responsável por consideráveis desordens individuais, familiares e sociais, desencadeando um desgaste familiar e a destruição de milhares de pessoas. Esta situação requer tratamento com abordagem interdisciplinar a partir de intervenções psicoterápicas e sociais, visando à recuperação e reinserção social dos dependentes químicos. No entanto, o tratamento para dependência química é visto como um caminho difícil pela propensão a episódios de recaída e baixa adesão. O profissional de enfermagem tem sofrido uma grande degradação física e psicológica levando-o a automedicação. A descoberta e a consequência do uso abusivo de psicotrópicos entre profissionais da saúde é um interesse comum que provoca preocupação dos estudiosos. Objetivo: Descrever a saúde do profissional de enfermagem e o contexto da dependência química. Material e Método: Tratar-se de um estudo descritivo de revisão da literatura, a pesquisa foi realizada na base de dados SCIELO, utilizando artigos disponibilizados na íntegra, publicados entre 2015 e 2020, totalizando 10 artigos. Resultados e Discussão: O Ministério da Saúde Preocupado com as repercussões sociais do uso de drogas, vem investindo fortemente na constituição de serviços e aparatos que possam  acompanhar o usuário de drogas no âmbito da comunidade. Destacam-se a Política Nacional para a Atenção aos Usuários de Álcool e Drogas, o Plano de Enfrentamento ao Crack e o Plano Emergencial de Ampliação do Acesso a Tratamento em Álcool e outras Drogas no Sistema Único de Saúde (SUS). A dependência química é de fato um grave problema de saúde pública necessitando da atuação em busca de táticas para a prevenção, o acompanhamento e o tratamento dos usuários e familiares. O profissional de enfermagem tem sofrido uma grande degradação física e psicológica, muitas vezes, apresenta dificuldades para perceber o que está acontecendo em sua vida e em sua saúde. Deve ser visto muito além de um trabalhador da saúde, uma pessoa que também pode sentir danos à própria saúde. Conclusão: O profissional de tem acesso fácil a muitas medicações e com isso, ao se automedicar na tentativa de melhorar sua saúde, consequentemente  pode  se  tornar  dependente  dentre  outros  riscos  como  intoxicação  e  outros sintomas. Contribuições para a Enfermagem: Faz-se necessário mais estudos acerca da dependência química entre profissionais de enfermagem. O profissional tem muito receio ao de ser afastado do trabalho durante o tratamento, a falta de confiança que acarretara nos pacientes que pegarem conhecimento dos problemas, atitudes apáticas e preconceituosas por parte dos colegas de trabalho fazem com que escondam o problema, não buscando ajuda e se naufragando cada vez mais no vício.

Publicado

09-12-2021
Métricas
  • Visualizações 0
  • PDF downloads: 0

Como Citar

SANTOS MAIA, L. F. dos .; SANCHES, A. M. .; VASCONCELLOS, C. . SAÚDE DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E A DEPENDÊNCIA QUÍMICA. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], p. 7, 2021. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/659. Acesso em: 6 jul. 2022.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.