O humor como ferramenta de ativação atencional

Autores

  • Henrique Larenas Faria henriquelarenasfaria@gmail.com
    Faculdade Estácio de Carapicuíba
  • Cleunice de Jesus Wosnes cwosnes@terra.com.br

Palavras-chave:

Atenção, Humor, Psicologia

Resumo

A atenção humana está sujeita à diversos estímulos distratores e a frequente demanda de direcionarmos nosso interesse à várias atividades simultâneas, e com isso, a atenção têm sido um problema que afeta crianças, jovens, adultos e idosos nos processos diários. Desta forma, o presente artigo parte da premissa em que as técnicas do humor, aplicadas no contexto do Stand-up conseguem manter maior tempo de atenção por parte da plateia por conta do interesse nas atividades prazerosas que o público vivencia, e agregar tais técnicas na utilização do discurso, direcionando a comédia e incorporá-las aos professores, se torna uma poderosa aliada no contexto de sala de aula ampliando a atenção e o prazer no processo de ensino-aprendizagem. 

Descritores: Atenção, Humor, Psicologia.

 

Humor as an attentional activation tool

Abstract: Human attention is subject to various distracting stimuli and the frequent demand to direct our interest to several simultaneous activities, and as a result, attention has been a problem that affects children, young people, adults and the elderly in daily processes. In this way, this article is based on the premise that humor techniques, applied in the context of Stand-up, can maintain greater attention span on the part of the audience due to the interest in the pleasurable activities that the public experiences, and add such techniques to The use of speech, directing comedy and incorporating it into teachers, becomes a powerful ally in the classroom context, increasing attention and pleasure in the teaching-learning process.

Descriptors: Attention, Humor, Psychology.

 

El humor como herramienta de activación atencional

Resumen: La atención humana está sujeta a diversos estímulos distractores y a la demanda frecuente de dirigir nuestro interés a varias actividades simultáneas, y como resultado, la atención ha sido un problema que afecta a niños, jóvenes, adultos y ancianos en los procesos cotidianos. De esta manera, este artículo parte de la premisa de que las técnicas de humor, aplicadas en el contexto del Stand-up, pueden mantener una mayor capacidad de atención por parte de la audiencia debido al interés por las actividades placenteras que experimenta el público, y sumar Este tipo de técnicas El uso del habla, dirigiendo la comedia e incorporándola a los docentes, se convierte en un poderoso aliado en el contexto del aula, aumentando la atención y el placer en el proceso de enseñanza-aprendizaje.

Descriptores: Atención, Humor, Psicología.

Referências

Bergson H. O Riso, Ensaio do Significado da comunicação. São Paulo: Grupo Editorial Record. 1947.

Kastrup V. A aprendizagem da Atenção na Cognição Inventiva. São Paulo: Psicologia & Sociedade. 2004.

Posner M. Imaging attention networks. Neuroimage. 2012. Disponível em: <10.1016/j.neuroimage.2011.12.040>.

Nardim H, Orgler R. Um estudo sobre as formas de atenção na sala de aula e suas implicações para a aprendizagem. São Paulo: Psicologia e Sociedade. 2007.

Fuentes D, Malloy-Diniz L, Camargo C, Consenza R (Orgs.). Neuropsicologia. Teoria e Prática: Ed. Artmed. 2014; 2ªEd: 133-135.

Foucault M. A Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense. 1986.

Bremmer J. Uma história cultural do humor. Rio de Janeiro: Record. 2000.

Flores E. A história deixou de ser agelasta? São Paulo: Ed Saeculum. 2003.

Medeiros M. A instrução pelo riso em Santo Agostinho. Maringá: Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. 2010.

Travaglia L. Uma introdução aos estudos de humor pela linguística. v.6. São Paulo: Rev Delta. 1990.

Ziraldo A. Ninguém entende de humor. Rev Vozes de Cultura. Petrópolis: Ed. Vozes. 1970.

Raskin V. A interdisciplinaridade da pesquisa do humor. Amsterdam: Rev Semiótica. 1987.

Jerkovic J. Duas ou três coisas que eu sei do humor. Rev Vozes de Cultura. Petrópolis: Ed. Vozes. 1970.

Pino W. Humor, um enfoque psicológico. Rev de Cultura. Petrópolis: Ed. Vozes. 1970.

Freud S. Os chistes e a sua relação com o Inconsciente. In. Obras Completas de Sigmund Freud. Vol. 8. São Paulo: Ed. Imago. 1905.

Lins L. Os segredos da Comédia Stand-Up. São Paulo: Panda Books. 2014.

Carnegie D. Como Falar em Público e Influenciar Pessoas no mundo dos Negócios. Rio de Janeiro: Grupo Editorial Record. 2010.

Possenti S. Humor, língua e discurso. São Paulo: Ed. Contexto. 2010; 183.

Abubakar F. O uso do humor no ensino e aprendizagem no ensino superior. Dunedin-Nova Zelândia: University of Otago, 2018. Disponível em: <https://ourarchive.otago.ac.nz/handle/10523/8238>. Acesso em 5 abr 2022.

Engrácio H. O humor na educação. Mestrado em Comunicação Educacional Multimédia: Lisboa: Universidade Aberta. 2008.

Tagnini S. O humor como quebra da convencionalidade. São Paulo: Rev Bras de Linguística Aplicada. 2005.

Krumm S, Schmidt-Atzert L, Eschert S. Investigating the structure of attention: How do test characteristics of paper-pencil sustained attention tests influence their relationship with other attention tests? Alemanha: University of Marburg. 2008; 108-116.

Publicado

22-02-2024
Métricas
  • Visualizações 0
  • pdf downloads: 0

Como Citar

FARIA, H. L. .; WOSNES, C. de J. . O humor como ferramenta de ativação atencional. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], v. 9, n. 15, p. 55–67, 2024. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/1536. Acesso em: 22 abr. 2024.