Saúde de estudantes negras e suas interfaces com o preconceito racial: relatos autobiográficos

Autores

  • Auxiliadora Maria Martins da Silva auxiliadora.martins@ufpe.br
    UFPE - Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Sandra Montenegro Silva Leão sandra.montenegro@ufpe.br
    UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

10.24281/rremecs2024.9.15.3242

Palavras-chave:

Depressão, Saúde de Estudantes Negras, Ensino Superior

Resumo

Indicadores educacionais mostram uma significativa inclusão de mulheres negras no Ensino Superior. Porém, a permanência em sala de aula se realiza com barreiras. O cotidiano escolar de estudantes negras e negros demonstra que superar o racismo é um dos maiores obstáculos. Esta pesquisa objetivou compreender os impactos do racismo nas condições de saúde de estudantes negras do Curso de Licenciatura em Pedagogia e os seus modos de enfrentamento. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada no Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco. Participaram da coleta dos dados cento e quarenta e três estudantes mulheres, utilizamos a técnica de relatos autobiográficos para a produção dos dados. As categorias extraídas foram: violência docente, preconceito racial, saúde mental e estratégias de enfrentamento. Concluímos sugerindo mais discussões sobre preconceito racial e saúde de estudantes no espaço universitário, assim como a modificação da matriz curricular do curso de Pedagogia.

Descritores: Depressão, Saúde de Estudantes Negras, Ensino Superior.

 

Health of black students and their interfaces with racial prejudice: autobiographical reports

Abstract: Educational indicators show a significant inclusion of black women in Higher Education. However, staying in the classroom comes with barriers. The daily school life of black students demonstrates that overcoming racism is one of the biggest obstacles. This research aimed to understand the impacts of racism on the health conditions of black students on the Pedagogy Degree Course and their ways of coping. This is qualitative research, carried out at the Education Center of the Federal University of Pernambuco. One hundred and forty-three female students participated in data collection. We used the technique of autobiographical reports to produce the data. The categories extracted were: teacher violence, racial prejudice, mental health and coping strategies. We conclude by suggesting more discussions about racial prejudice and student health in the university space, as well as the modification of the curricular matrix of the Pedagogy course.

Descriptors: Depression, Health of Black Students, Higher Education.

 

La salud de los estudiantes negros y sus interfaces con los prejuicios raciales: informes autobiográficos

Resumen: Los indicadores educativos muestran una inclusión significativa de las mujeres negras en la Educación Superior. Sin embargo, permanecer en el aula conlleva barreras. La vida escolar diaria de los estudiantes negros demuestra que superar el racismo es uno de los mayores obstáculos. Esta investigación tuvo como objetivo comprender los impactos del racismo en las condiciones de salud de los estudiantes negros de la Licenciatura en Pedagogía y sus formas de afrontamiento. Se trata de una investigación cualitativa, realizada en el Centro de Educación de la Universidad Federal de Pernambuco. En la recolección de datos participaron 143 estudiantes mujeres, para cuya producción se utilizó la técnica de los relatos autobiográficos. Las categorías extraídas fueron: violencia docente, prejuicio racial, salud mental y estrategias de afrontamiento. Concluimos sugiriendo más discusiones sobre prejuicio racial y salud estudiantil en el espacio universitario, así como la modificación de la matriz curricular de la carrera de Pedagogía.

Descriptores: Depresión, Salud de Estudiantes Negros, Educación Superior.

Referências

Favacho V. Acesso da população negra a serviços de saúde: revisão integrativa. Rev Bras Enferm. 2020; 73(4):e20180834.

Brasil. Ministério da Saúde. Brasília. 2009. Disponível em: <http://www.ministeriodasaude.planalto.gov.br>. Acesso em 01 fev 2019.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Relatório Mundial de Violência e Saúde. Genebra: OMS. 2000.

Associação Mundial de Psiquiatria. Diagnóstico e Tratamento dos Transtornos Mentais. Porto Alegra: Artmed. 2018.

Santos F. Caminhos para o reencantamento da vida: entre demandas e práticas de cuidado e acolhimentos da UFPE. Dissertação de Mestrado em Educação. Centro de Educação: UFPE. 2021.

Gomes NL. As práticas pedagógicas com as relações étnico-raciais nas escolas públicas: desafios e perspectivas. In: GOMES, Nilma Lino (Org) Práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei nº 10.6393. Brasília: Mec, UNESCO. 2012.

Munanga K (Org.) Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação. 2005.

Carneiro S. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo Negro. 2011.

Associação Europeia de Cuidados Paliativos. A condição humana entre tensões. Coimbra: Edições Almedina. 2010.

Publicado

19-02-2024
Métricas
  • Visualizações 0
  • pdf downloads: 0

Como Citar

SILVA, A. M. M. da .; LEÃO, M. S. M. S. . Saúde de estudantes negras e suas interfaces com o preconceito racial: relatos autobiográficos. Revista Remecs - Revista Multidisciplinar de Estudos Cientí­ficos em Saúde, [S. l.], v. 9, n. 15, p. 32–42, 2024. DOI: 10.24281/rremecs2024.9.15.3242. Disponível em: http://revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/1534. Acesso em: 22 abr. 2024.